6 cuidados essenciais para manter o seu pet protegido durante o inverno

6 cuidados essenciais para manter o seu pet protegido durante o inverno Arquivo da Internet

O inverno começou no último dia 21 de junho e terminará no dia 22 de setembro, por conta disso os cuidados com o seu peludo devem ser constantes durante toda a estação. Selecionamos aqui algumas dicas para manter seu amigão sempre quentinho e com a saúde protegida.

Observe o comportamento

É natural que seu peludo procure lugares mais quentes com frequência nesse período, então mantenha mantas ou até mesmo vista roupinhas no seu cão. Isso irá protege-lo do frio.

Por conta das baixas temperaturas a procura por água talvez tenha uma frequência menore por comida, uma frequência maior, devido ao maior gasto calórico para se manter aquecido. Mas, se por ventura a redução da ingestão de água ou aumento da procura por alimento for muito grande é interessante levá-lo para uma consulta com um veterinário.

Tosse e espirros podem indicar doenças respiratórias. Observe o comportamento do peludo! 

Engasgar vez ou outra acontece e muitas vezes confundimos como uma tosse. Mas se tornar comum, algumas vezes ao dia, pode indicar doenças respiratórias.

Peludos idosos

Naturalmente eles precisam de mais atenção. Duas características daqueles que já passam dos sete anos de vida são a perda de massa muscular e de camada de gordura, o que potencializam a sensação de frio e prejudicam o processo de metabolismo. 

Repare na “carinha” do peludo

Nós, os humanos, quando ficamos resfriados temos a tal coriza, uma secreção nasal.

Já nossos pets podem ter secreções tanto nasais quanto oculares, simultaneamente. Essa última parece que estão lacrimejando além do comum.

Uma forma de reduzir o risco de o peludo ficar resfriado é se certificar de que a carteirinha de vacinação esteja em dia. No inverno eles ficam muito mais suscetíveis a doenças respiratórias por conta de uma imunidade bastante fragilizada. 

E por falar em doenças respiratórias, a rinotraqueíte felina e a traqueobronquite infecciosa canina – popularmente conhecida como tosse do canil ou gripe canina - além de serem contagiosas podem levar à morte.  E os primeiros sinais são justamente o que acabamos de elencar, as secreções naso-oculares.

Não corte os passeios

Passear no intervalo entre 11h e 15h, quando o sol fica mais imponente e o frio diminui um pouco é o ideal para manter as atividades físicas do peludo.

Fora que isso tira o tédio de ficar o dia todo dentro de casa sem interagir com seus semelhantes, com as graminhas e, dependendo, com os postes pelas ruas da cidade.

Estimule as brincadeiras

Além de manter a rotina de passeios, quando há, estimule o seu peludo a brincar. Esse item é interessante para te auxiliar a observar o comportamento e também para evitar um sobrepeso, já que ele tende a comer mais – afinal, queima-se muita caloria para manter o corpinho aquecido.

Não o deixe dormir ao relento

Mesmo que tenham casinhas ou caixas para dormir, muitos peludos preferem dormir sob a luz do luar e com uma vista para as estrelas.

Ainda que poético isso representa um grande mal. Se necessário prenda-o em um lugar protegido do frio intenso.

E para finalizar, independente da estação do ano, devemos cuidar e observar sempre as mudanças de comportamento em nossos amigões para garantir que esteja tudo bem!


                                                                                                                                                                                                                                                                           Texto: Thiago Vendrami