Cuidados necessários ao preparar dietas veganas/vegetarianas em casa!

Com a popularização das dietas veganas/vegetarianas para pets a Abinpet (Associação brasileira da industria de produtos para pets) tem o cuidado de direcionar tutores para que não aconteçam prejuízos na nutrição animal e aponta quais diretrizes seguir na produção desses alimentos.

Dietas veganas ou vegetarianas preparadas em casa podem oferecer riscos aos animais, pois desequilíbrios nutricionais não estão descartados, assim como qualquer outra preparação caseira sem acompanhamento de um veterinário. Por isso, salientamos a importância do envolvimento do profissional competente para desenvolver formulações para os animais de estimação. Estão hoje habilitados médicos-veterinários e zootecnistas.

Estabelecer padrões para a alimentação de cães e gatos é uma tarefa desafiadora, pois esse tipo de decisão pode dizer respeito, por exemplo, a uma filosofia e opção consciente de seres humanos, como o veganismo. Embora existam nutrientes essenciais que têm como única fonte ingredientes de origem animal, como a taurina e o ácido araquidônico (tipo de ômega-6), recentes tecnologias no setor de alimentação permitem a produção desses nutrientes de forma sintética.

No entanto, pesquisa recente da Universidade de São Paulo com quatro produtos veganos para pets produzidos no Brasil mostraram que os itens estudados apresentavam deficiência de ambas as substâncias, entre outras.

A pesquisa evidencia que os alimentos veganos têm maior risco de apresentar carência de cálcio, potássio e sódio, entre outros nutrientes. Ou seja, fornecer uma dieta alternativa, caseira ou industrializada que seja equilibrada, é uma tarefa complicada que exige planejamento formulação específica de um veterinário ou nutricionista animal – particularmente para gatos.

Um dos motivos é que a necessidade nutricional dos cães e gatos está sobre o alicerce de nutrientes específicos, e não ingredientes específicos, conforme determinado pelo NRC (National Research Council, Estados Unidos). Dessa forma, os nutrientes podem vir de qualquer fonte possível, seja animal, vegetal ou sintética, porém devem atender os valores preconizados por entidades internacionais como a Association of American Feed Control Officials ou a European Pet Food Industry. Deve-se levar em consideração também as etapas de vida de cada pet, para elaboração de um alimento completo que respeite características qualitativas sobre a digestibilidade, valor biológico e palatabilidade de cada ingrediente. No Brasil, a Abinpet edita e disponibiliza o Manual Pet Food, alinhado com todos os parâmetros internacionais de qualidade.

Por seu histórico alimentar e pelos milhares de anos que passaram até chegarem a um processo de domesticação, cães provavelmente poderiam adaptar-se um pouco mais rapidamente a uma dieta vegana ou vegetariana. Atualmente, cães são considerados onívoros, enquanto os gatos permanecem considerados carnívoros ou parcialmente onívoros, tendo em vista que os próprios alimentos completos extrusados já forçaram sobremaneira tal adaptação dos felinos.

Ao nos depararmos com esses novos conceitos de alimentação é importante focar no bem-estar animal em primeiro lugar. Respeitar as preferências de consumo e de estilo de vida dos donos de animais de estimação é importante, mas alertar o mercado e a sociedade para o fato de que mais estudos e discussões são necessários para um panorama mais claro é essencial.

Texto adaptado da Abinpet “Posicionamento da Abinpet sobre alimentos pet com formulações veganas!”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “Aceitar” ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.

× Precisa de ajuda?